Arquivo mensal: maio 2011

Reinaldo Azevedo derrapa. Determinismo gay não é fato

Eu sou um profundo admirador dos textos do Reinaldo Azevedo, leio-os todos os dias e na maior parte dos casos aprendo muito com o que leio ali. Hoje não foi assim.

O texto: Não! O material jamais tornará gay um hétero; mas há o risco de ambos ficarem mais burros, pouco importa o que façam com seu regalo contém algumas falácias que acredito que o articulista, que ousaria dizer é atualmente o melhor colunista do Brasil, deve ter incorrido por desconhecimento de alguns fatos.

A frase que vai abaixo precisa ser vista com cuidado:

Em suma, senhores pais. Seus pimpolhos e pimpolhas farão com o seu “regalo” — como diria Ayres Britto —, com o seu “bônus da natureza”, o que estavam destinados a fazer.

Reinaldo deixa transparecer em muitos textos sobre o assunto a crença de que há um determinismo no tema da orientação sexual. Tal crença é em grande parte um mito alimentado durante muitos anos pelo lobby gay que é extremamente poderoso. Não existe um gene gay, algo que faça com que um homem ou uma mulher desde o nascimento sintam atração sexual por pessoas do seu sexo, nunca foi comprovada tal teoria. Desta forma a configuração de uma pessoa em gay ou normal vem do seu fenótipo, ou seja, da bagagem de vida e das decisões que este homem ou esta mulher tomou.

É importante lembrar que antes do DSM-IIIR, o homesexualismo era uma doença psiquiátrica passível de tratamento. Há vários relatos de pessoas que deixaram o homosexualismo e levaram vidas matrimoniais normais após uma terapia adequada.

Remover o status de doença de determinada condição por conta de um lobby é algo extremamente perigoso para o ser humano. Um movimento similar começa a nascer entre os autistas que tem uma capacidade funcional elevada (em especial as pessoas que sofrem da síndrome de Asperger) que se referem aos não autistas como neurotípicos como se a condição deles fosse apenas um modo de ser neurológico.

Ao remover uma condição do rol de doenças, as pesquisas buscando o seu tratamento cessam por falta de recursos, as pessoas que gostariam de ser tratadas não conseguem quem lhes atenda.

Não é preciso uma imaginação aguçada para ver o caos em que se meteria a civilização se fosse retirando doenças por pressões de grupos de interesse.

Duvido que Reinaldo leia este texto, e caso o faça, espero que o veja como uma crítica de alguém que o admira mas que vê que ele precisa aprimorar os argumentos neste campo.

Anúncios

Palocci e Francenildo – A história vai ficando pior

Palocci, Francenildo, Helena Chagas, Andrea Meirelles, Jorge Mattoso são alguns dos atores do Caseirogate que destruiu a vida de um pobre caseiro.

Pois bem, cinco anos depois, o diretor das Organizações Globo para Revistas, afirma em entrevista para o Brasil247 que foi o próprio Palocci que procurou a família Marinho para municiar contra o caseiro.

A história é escabrosa e chamou a atenção de Dora Krammer, sinal de que há indícios de que o assunto é quente. Dora publicou hoje em seu Twitter algo meio misterioso: “Bem mexida, essa história da armação Globo-Palocci caseiro derruba até ministro. E não é o Palocci.

A coisa é séria demais. A casa civil virou a casa da mãe joana há muito tempo, mas mesmo na casa da mãe joana há limites.

P.S. – Vale a pena ver a mensagem de @rafasoli

Faltam militares com aquilo roxo. Ou a bolinha do bilhão

Todos lembramos do vergonhoso episódio da bolinha de papel protagonizado pela TV de Silvio Santos, que durante o regime militar puxava o saco dos militares com o “A Semana do Presidente” e agora para bajular Dilma, resolveu fazer sua versão de “A semana da terrorista”, mostrando como aqueles terroristas que queriam implantar uma ditadura comunista no Brasil e agora vivem da safadeza do bolsa ditadura eram almas sensíveis.

Ao ver o vídeo que vai abaixo você pode ficar nauseado, a seguir a nausea pode se transformar num perigoso sentimento de fazer justiça.

Estão zombando dos militares ao passar isto na televisão. Colegas de farda: generais, coronéis, majores, a hora é agora, protestem, e se preciso for, defendam o Brasil!

Dead Palocci Walking

Antonio Palocci é carta fora do baralho. Em um país decente talvez já estivesse preso há tempos, no Brasil é ministro. No entanto por mais sem vergonha que seja um país, por mais complacente com corrupção seja um povo, um ministro de estado não pode ter tantas evidencias de malfeitorias e continuar no cargo.

“Dead man walking”, além de um filme famoso, e por sinal muito bom, é uma gíria utilizada por guardas dos corredores da morte dos EUA quando acompanham o prisioneiro para a execução.

Palocci é dead man walking. O texto a seguir é de uma matéria do Estado de São Paulo: “Para evitar qualquer tipo de quebra ilegal do sigilo fiscal de sua empresa, o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, acionou o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab”. Palocci não quer ver seu ISS (ou a ausência dele) aparecer nos jornais, no entanto Kassab não tem nada com isso, e como membro da oposição deveria aproveitar para dizer em público: “A oposição não quebra sigilos, quem faz isso é o PT. Quem vai executar você são seus companheiros de partido”

Corisco defende a saída de Palocci, como defende o impeachment de Dilma Rousseff. Se o Brasil não tivesse traidores na oposição …

Palocci deve sair: Fancenildo contra ataca

A situação de Palocci fica insustentável a cada minuto que passa. Tendo escapado no supremo, volta a ser atormentado pelo caseiro Francenildo que teve a vida destruída por pessoas do governo que supostamente serviam a Palocci.

Hoje, Francenildo disparou:  “Por que ele não explicou de onde veio o dinheiro? Eu tive de explicar”. Justa a pergunta do rapaz. A desconfiança pairou sobre Francenildo por menos de 35 mil reais e há muita gente empenhada em livrar Palocci de responder de onde vieram os 7 milhões de reais.

Como cidadão você tem a obrigação moral de conhecer mais sobre o affair Palloci/Francenildo e recomendo a leitura da excelente matéria da Piauí: http://revistapiaui.estadao.com.br/edicao-25/anais-de-brasilia/o-caseiro (na íntegra)

E você também deve se perguntar: onde está a oposição?

Supremo Violador da Constituição

Como se faz um chavismo?

Controle a Suprema Corte, nomeie ministros de sua confiança que estejam dispostos a votar as coisas do modo que você queira e que esteja disposto a rasgar a constituição.

Coloque o Congresso de joelhos. Faça com que as casas legislativas se assemelhem a casas de tolerância, que percam a vergonha de ser pegos em flagrante crime.

Anestesie o povo. Encha de bolsa familia, de bolsa ditadura, de bolsa camisinha, de bolsa minoria, etc. Depois faça com que a impunidade prevaleça.

Compre os jornais com propaganda de estatais.

Use os fundos de pensão para controlar empresas privadas.

Assim seu caminho para o Chavismo é bem pavimentado, você não precisará derramar uma só gota de sangue e terá o controle do país.

Há um partido fazendo isto…

MEC inventa mais um preconceito. O linguístico.

Depois de termos um presidente que errava, e ainda deve errar, 99,13% das concordâncias durante suas falas, o MEC resolveu ensinar a nossos filhos que não está errado deixar a consoante dos plurais de fora de algumas palavras, ao seu bel prazer.

“Posso falar ‘os livro’?’ Claro que pode, mas dependendo da situação, a pessoa pode ser vítima de preconceito linguístico”

Isso é um trecho do Livro “Por uma vida melhor”, de Heloísa Ramos, que taxa os bons professores de “Preconceituosos Linguísticos”.

A justificativa para a criação de mais um preconceito, é que as pessoas já falam errado e, por causa disso, têm o direito de também escrever errado. Ao invés de corrigir o erro, o aceitam e o transformam em acerto. Nada mais fácil, certo?

Usando essa mesma lógica “democrática” de transformar a maioria em “verdade”, poderíamos deturpar conceitos de Matemática, Física ou Química… Ainda seguindo tal “lógica” é possível mudar fatos históricos ou dados geográficos, só porque a maioria das pessoas acha que tal maneira é a correta. Afinal de contas, ninguém pode ser vítima de preconceito (linguístico, matemático, físico, químico, histórico ou geográfico).

Fecho com uma citação do Augusto Nunes num post sobre o assunto, “O Brasil vem afundando há oito anos num oceano de estupidez. Mas é a primeira vez que o governo se atreve a usar uma obra supostamente didática para difundi-la.”

Foto meramente ilustrativa.

Os católicos mortos e os mansos

Vocês provavelmente terão lido sobre o massacre de 12 católicos no Egito. Egito este saudado como democrático, o Egito livre, o Egito que expulsou Mubarak.

Prestem atenção às manchetes:

Zero Hora: “Incêndio em igreja gera conflitos religiosos no Egito”
Terra: “Confrontos sectarios entre cristãos e muçulmanos deixaram 12 mortos”
O Globo: “Egito promete medidas após 12 mortos em confrontos religiosos”
IG: “Choques entre cristãos e muçulmanos deixaram ao menos 12 mortos e cerca de 200 feridos na capital Cairo”
Estadão: “Choque sectário no Egito deixa 12 mortos;Confrontos entre cristãos e muçulmanos no Cairo também ferem 223 e contribuem com a desordem no processo de transição para a democracia”

O único que noticiou de maneira completa e correta foi Reinaldo Azevedo.

Lendo as manchetes o que você pensa? Que havia cristãos armados e mulçumanos armados, como no tempo das cruzadas, se matando no Egito. E será que foi isso que aconteceu? Não! Uma Igreja Católica foi cercada por uma multidão mulçulmana que estava irada pois havia uma mulher que se convertera ao cristianismo e em seguida atiraram bombas na Igreja e a incendiaram. Houve sim um massacre de cristãos, melhor de católicos.

Só que no mundo em que vivemos matar católicos é algo aceitavel. Já falamos aqui: se você é homem, não é gay, nem negro e ainda por cima é católico, você é o pária da sociedade, você não tem direito a nada.

Alguns leitores poderão argumentar que Jesus disse no Sermão da Montanha: “Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra“. É verdade, no entanto não podemos esquecer que “Jesus tendo feito um azorrague de cordas, lançou todos fora do templo, bem como as ovelhas e os bois; e espalhou o dinheiro dos cambistas, e virou-lhes as mesas; e disse aos que vendiam as pombas: Tirai daqui estas coisas; não façais da casa de meu Pai casa de negócio.” Jo 2,13-14

Ana de Hollanda, devolve o Jabuti, digo, as diárias no Rio

Saiu ontem no Estadão uma reportagem que mostrava que a nossa Ministra da Cultura, Ana de Hollanda, recebeu diárias no Rio de Janeiro, mesmo tendo residência naquela cidade. Nesses últimos quatro meses, ela já recebeu 65 diárias que somam R$ 35.500,00.

Curiosamente, ela marca compromissos oficiais nas sextas-feiras e segundas-feiras e fica hospedada às nossas custas durante o fim de semana. Além disso, ela recebe ajuda financeira pelos dias na cidade inclusive nos sábados e domingos.

Ela se “justifica” dizendo que é mais barato para os cofres públicos ficar no Rio do que voltar a Brasília na sexta e retornar ao Rio na segunda-feira. Assim mesmo, já gastou R$ 17.300,00 só em passagens aéreas para esses finais de semana.

Ora, se ela tem residência no Rio de Janeiro, porque o governo tem que pagar a hospedagem dela na Cidade Maravilhosa? E que diária, hein? R$ 35.500,00 por 65 dias dá uma diária de R$ 545,00.

Desde sua posse, a Ministra passou apenas 4 dos 17 finais de semana em Brasília, onde diz ter residência oficial.

Outro escalpo na nossa Ministra da Cultura.

Outra coisa que não entendo é o caso dos parlamentares do Distrito Federal que recebem passagens aéreas todo mês. Os colegas de outros estados recebem isso para voltarem para suas casas… Mas e os de Brasília? Bom isso será tema de outro escalpo…

STF estuprou a Constituição

Ontem ao igualar as uniões homosexuais ao casamento (em breve teremos que chamar de antigo casamento) o Supremo Tribunal Federal tomou o poder do legislativo num autêntico golpe de estado branco.

Recomendo a leitura do texto de Reinaldo Azevedo: O casamento gay no Supremo. Ou: O dia em que o órgão genital virou um “plus”, um “bônus”, um “regalo”. Ou: O Supremo vai tomar o lugar do Congresso?

Agora, cabe perguntar: será que vale o artigo 142 da constituição? Poderiam as forças armadas prover: “garantia dos poderes constitucionais”?