Arquivo da categoria: Igreja Católica

Um tal de @betopadre resolve dar uma de herege e toma uma excomunhão na lata

1010037

1010037 (Photo credit: El Bibliomata)

Há muito tempo não tinhamos no Brasil bispos com aquilo roxo como diria o famigerado Fernando Collor de Melo. Mas ontem o bispo de Bauru Dom Caetano Ferrari mostrou que é cabra homi.

Havia lá um padre que era conhecido no popular como Padre Beto, o Pe. (excomungado) Roberto Francisco Daniel que resolveu pregar uma religião distinta da Católica. Este padre foi chamado pelo bispo a se retratar das baboseiras que havia falado em contra da moral do catecismo.

O Pe. Beto pediu truco e o bispo colou o zap na testa dele usando o artigo 1364 do código de direito canônico que diz que que aquele que incorre em heresia pode ser excomungado. A excomunhão é a pena mais grave prevista no código de direito canônico.

Hoje o Pe. Beto postou no Facebook: “Eu me sinto honrado em pertencer à lista de muitas pessoas humanas que foram assassinadas e queimadas vivas por pensarem e buscarem o conhecimento. Agradeço à Diocese de Bauru.”

Ligando a tecla SAP, Corisco responde a ele, não Pe. Beto o senhor não é um Lutero, a sua teologia rasa de pires não serve nem para lamber as sandálias dos grandes hereges que pelo menos criavam heresias originais.

Anúncios

O aborto no Brasil e a CNBB

Prezados leitores, sei que não não temos sido nada assíduos aqui neste blog, no entanto gostaria de contar com a sua atenção um momento.

O tema do aborto no Brasil foi amplamente discutido na campanha de 2010 e o próprio PT havia posto isso no seu programa de governo. Dilma havia se declarado favorável à pratica de matar criancinhas no ventre materno, isto é o aborto, e não era de se esperar menos que o PT fizesse o que queria fazer.

O problema está aí. A Ministra das Mulheres (quando vai ter um ministro dos homens?) é favorável ao aborto e confessou crime de aborto cometido na Colombia.

Enquanto isso na CNBB …

A Igreja no Brasil está na lona e depois o pessoal não sabe a razão …

Há 50 anos Fidel Castro era excomungado

English: The Cuban leader Fidel Castro. Españo...

A Igreja Católica dentro de seu direito penal possui, de maneira geral, três modalidades de penas: as censuras, as interdições e as excomunhões.

A mais grave das penas eclesiásticas é a excomunhão. Através dela a pessoa excomungada fica privada de qualquer auxílio espiritual da Igreja e impedida de receber qualquer sacramento.

As penas de excomunhão são aplicadas de duas formas: Latae Sententiae e Ferendae Sententiae. A primeira é aplicada automaticamente para algumas ações especialmente graves. Se uma mulher faz aborto, ela está excomungada, o médico e todos os que participaram no aborto também. Neste caso quem tem autoridade para remover a excomunhão é o bispo da diocese onde foi praticado o ato que gerou a excomunhão.

Se um sacerdote viola o segredo da confissão, ele está automaticamente excomungado e devido a gravidade do fato a excomunhão só pode ser removida pelo Papa.

No entanto em algumas situações especificamente muito graves os Papas, ou em suas dioceses os bispos, podem decretar a excomunhão de uma determinada pessoa. Isto se dá em situações realmente graves em que o conjunto dos atos da pessoa faz com que seja inviável sua permanência na Igreja.

Até onde sei, e pesquisei bastante, a última pessoa que teve a excomunhão declarada solenemente por um Papa foi o ditador carniceiro de Cuba, Fidel Castro. Há 50 anos, em 3 de Janeiro de 1962 o Papa João XXIII excomungou Fidel pelas agressões que este perpetrou contra instituições católicas em Cuba. E Fidel até os dias de hoje segue excomungado.

Este blog não se alegra com a excomunhão de Fidel, mas crê que este remédio (da excomunhão) poderia ser aplicado outras vezes para ditadores e pseudo-ditatores que se dizem católicos e promovem o aborto e outras aberrações.

Editora Paulus – Teologia da Libertação no folheto da Missa? Vergonha!

Como muitos já sabem, esse índio velho que vos escreve é católico. Para os quem não sabiam, façam o favor de saber agora.

Hoje chegou aos meus olhos uma cópia do folheto de Missa chamado “O domingo”, da editora Paulus, com um texto “pra lá” de ruim. Na paróquia onde eu assisto Missa, o folheto é outro, graças a Deus, mas muitas igrejas ainda usam esse periódico para acompanhar a Missa e, por isso, me dói ver esse tipo de ideias estampadas num folheto que deveria trazer boa doutrina.

Só para começar, o texto é assinado pelo “teólogo” da libertação, João Batista Libanio que, no meio do texto cita descaradamente Leonardo Boff e, também descaradamente, defende ideias rejeitadas pela Igreja no próprio folheto da Missa.

Para quem não sabe, a Teologia da Libertação é claramente repudiada pelo Magistério da Igreja (confiram aqui e aqui). Ela, (a T.L.) defende diversas heresias, dentre elas o materialismo, como justificativa para a defesa dos “pobres e oprimidos”.

Vamos ao texto (meus comentários em azul):

O Caminho do Humanismo Cristão
Não poucos cristãos desencantaram-se da trajetória religiosa tradicional que levavam. Embarcaram de peito aberto no processo de secularização. Aprenderam a valorizar as realidades terrestres, a reconhecer-lhes a autonomia, a entusiasmar-se pelo compromisso social. Tiveram a graça de encontrar nesse novo caminho não a perda da fé, mas a purificação e aprofundamento.


Já começou mal. Aqui ele claramente tenta justificar sua escolha, e a de outros pela Teologia da Libertação. Tenta inclusive justificar essa má escolha pela quantidade de adeptos da T.L.


Depois embarca em expressões como “valorizar as realidades terrestres”, “autonomia” e “compromisso social”, expressões essas essenciais ao materialismo da T.L.


Termina o parágrafo quase implorando para que entendam que eles não perderam a fé, com minúscula, é claro, já que a Fé eles não têm desde que deram tanto valor às “realidades terrestres” e à “autonomia” (e outros “valores”).

Nutriram-se de teólogos sérios que souberam mostrar-lhes que certo tipo de secularização não contradiz a fé cristã. Antes, que a fé bíblica no Deus criador, que entregou ao ser humano a tarefa de cuidar do mundo e de construir a história, cumpriu função secularizadora em face de religiões que transportavam para o mundo os deuses para configurar o mundo dos homens.


Teólogos sérios? Será que a SAGRADA CONGREGAÇÃO PARA A DOUTRINA DA FÉ concorda com essa afirmação? Mas prossigamos porque o resto deste parágrafo é mais uma tentativa de justificar o materialismo através do mau uso da palavra “secularização”.

O cristão sabe que Deus está a seu lado, mas de modo diferente: não lhe retira a responsabilidade histórica. Mais. Vê na pessoa de Jesus Cristo aquele que trilhou aqui na terra trajetória humana até o extremo. Fascinou-lhe a afirmação de L. Boff, inspirada em Fernando Pessoa, ao falar de Jesus Cristo: “Humano assim só pode ser Deus mesmo”.


É verdade que Jesus trilhou aqui na terra trajetória humana até o extremo, mas não podemos nos esquecer nunca de que além dEle ser perfeito homem, Ele é também perfeito Deus. Esse último aspecto da pessoa de Cristo a T.L. tenta esconder ou dizer que não existe.

Trouxe-lhe imensa felicidade e paz interior saber-se seguidor de Jesus Cristo precisamente no momento em que se engaja com seriedade na luta pela justiça, pela liberdade e pela paz.


Hum… As coisas vão piorando. Parece que não foi isso Jesus não veio promover, “luta pela justiça, pela liberdade e pela paz”.

Ao se comparar com o militante ateu que dedica heroicamente a vida à libertação dos pobres e à construção de sociedade justa e fraterna, esse cristão não se sente nenhum alienado. Leva com igual seriedade o mesmo compromisso. Só que ainda lhe vem de graça a dupla certeza de que aqui na terra constrói o reino de Deus e além da história mergulha na certeza do amor de Deus que o acolhe.

A cerejinha do bolo. Neste último parágrafo ele mostra que não se sente um alienado quando comparado a um ateu marxista (heroico???).

J. B. Libanio sj

Pelo menos teve coragem de assinar o texto infame.

O escalpo de hoje vai para a editora Paulus e os infelizes que deram espaço para o João Batista Libanio com suas ideias marxistas e materialistas.

Espero que as dioceses que permitem o uso desse periódico tenham a coragem de exigir que a editora Paulus se corrija no próximo domingo, explicando os erros do texto que ela publicou.

Quero o escalpo do Leonardo Boff

Ou os católicos reagem ou voltam para as catacumbas

Li no Reinaldo Azevedo o seguinte:

A organização do evento espalhou 170 cartazes em postes da Paulista em que 12 modelos masculinos aparecem quase pelados, em situações de claro apelo erótico, recomendando o uso de camisinha. Até aí, bem! Ocorre que eles aparecem caracterizados como santos católicos, a exemplo de São Sebastião e São João Batista. Junto com a imagem, a mensagem: “Nem Santo Te Protege” e “Use Camisinha”.

Passaram já 24 horas deste acontecimento e não presenciamos uma notinha sequer da CNBB ou de qualquer bispo de grandes dioceses protestando contra esta profanação da religião católica. Falar asneiras do Código Florestal fizeram, de coisa séria fugiram!

Chegou a hora de reagir. Ou alçamos nossa voz, mesmo aqueles que não são católicos praticantes são ofendidos com isso, e fazemos ouvir nosso protesto ou vamos sucumbir à ditadura gay.

Teremos nossos templos profanados e voltaremos a nos esconder nas catacumbas. Ao contrário dos romanos que exigiam que os cristãos adorassem os deuses a nova ditadura exigirá a adoração da sodomia.

Catacumbas para fugir dos gays

Os Bispos do Brasil são uma vergonha

Antes de descer a lenha faço uma observação: sou católico, vou a Missa todos os Domingos, confesso pelo menos uma vez a cada mês, rezo, etc. Ou seja: católico praticante.

Feita esta observação agora o pau come, leia o que vai no G1 (dica do @coroneldoblog) e volto a seguir:

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nota nesta sexta-feira (17) em que afirma que “as decisões sobre o Código Florestal não podem ser motivadas por uma lógica produtivista que não leva em consideração a proteção da natureza, da vida humana e das fontes da vida”. Na nota, os bispos manifestaram preocupação tanto com a amenda 164 quanto com anistia a desmatadores. Segundo o presidente da CNBB, dom Raymundo Damasceno, a Igreja Católica vai apoiar a coleta de assinaturas nas paróquias de todo o país contra as mudanças no código feitas pela Câmara. “Convocamos nossas comunidades a participarem desse processo de aperfeiçoamento do Código Florestal, mobilizando as forças sociais e promovendo abaixo-assinado contra a devastação.” O secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, disse que os bispos vão participar do debate no Senado. “Gostaríamos de fazer um pouco de pressão”, afirmou. Steiner citou como exemplo de pressão feita pela Igreja a coleta de assinaturas para o projeto de iniciativa popular que deu origem à Lei da Ficha Limpa.

É muita falta de vergonha na cara. Para quem não lembra, o Cardeal Dom Odilo Scherer proibiu a distribuição do folheto contra o aborto ano passado na Catedral da Sé (a mesma catedral que foi profanada no tal do plebiscito de estatização da Vale), Dom Orani, que não foi feito Cardeal, também fez ouvidos surdos aos apelos do Papa para que se pronunciasse às vésperas da eleição. Outros importantes bispos e cardeais colocaram o rabo entre as pernas, se omitiram, ignoraram o apelo do Papa e agora vem com esta palhaçada numa questão que nem conseguiram compreender.

Então estamos combinados: aborto = silêncio. Lei justa que faz bem para o Brasil eles são contra e usurpam a estrutura da Igreja Católica para fazer política…

Os católicos mortos e os mansos

Vocês provavelmente terão lido sobre o massacre de 12 católicos no Egito. Egito este saudado como democrático, o Egito livre, o Egito que expulsou Mubarak.

Prestem atenção às manchetes:

Zero Hora: “Incêndio em igreja gera conflitos religiosos no Egito”
Terra: “Confrontos sectarios entre cristãos e muçulmanos deixaram 12 mortos”
O Globo: “Egito promete medidas após 12 mortos em confrontos religiosos”
IG: “Choques entre cristãos e muçulmanos deixaram ao menos 12 mortos e cerca de 200 feridos na capital Cairo”
Estadão: “Choque sectário no Egito deixa 12 mortos;Confrontos entre cristãos e muçulmanos no Cairo também ferem 223 e contribuem com a desordem no processo de transição para a democracia”

O único que noticiou de maneira completa e correta foi Reinaldo Azevedo.

Lendo as manchetes o que você pensa? Que havia cristãos armados e mulçumanos armados, como no tempo das cruzadas, se matando no Egito. E será que foi isso que aconteceu? Não! Uma Igreja Católica foi cercada por uma multidão mulçulmana que estava irada pois havia uma mulher que se convertera ao cristianismo e em seguida atiraram bombas na Igreja e a incendiaram. Houve sim um massacre de cristãos, melhor de católicos.

Só que no mundo em que vivemos matar católicos é algo aceitavel. Já falamos aqui: se você é homem, não é gay, nem negro e ainda por cima é católico, você é o pária da sociedade, você não tem direito a nada.

Alguns leitores poderão argumentar que Jesus disse no Sermão da Montanha: “Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra“. É verdade, no entanto não podemos esquecer que “Jesus tendo feito um azorrague de cordas, lançou todos fora do templo, bem como as ovelhas e os bois; e espalhou o dinheiro dos cambistas, e virou-lhes as mesas; e disse aos que vendiam as pombas: Tirai daqui estas coisas; não façais da casa de meu Pai casa de negócio.” Jo 2,13-14

Matar católico pode …

Na Costa do Marfim, ao arrepio da lei internacional, apoiados pela figura patética de Sarkozy as forças do líder mulçumano Ouattara tomaram o poder.

Aparentemente Ouattara havia ganhado as eleições, mas até aí há muitas dúvidas. O fato é que o pessoal de Ouattara não é flor que se cheire e há relatos de vilas onde mais de mil, isso mesmo mil católicos foram brutalmente massacrados pelos democratas de Ouattara com o apoio moral do gigante Sarkozy.

Quando a Costa do Marfim virar uma república islâmica onde os católicos serão caçados como ratos, vocês já sabem a quem agradecer.

Políticos como se comportar na Missa

Corisco promete produzir um Guia para Políticos aprenderem a se comportar na Missa. Como não quero fazer julgamentos temerários, gostaria de ouvir a opinião de vocês sobre a foto abaixo:

Aborto, Dilma, Herodes e Bispos fracos

vox in Rama audita est ploratus et ululatus multus Rachel plorans filios suos et noluit consolari quia non sunt – Mt 2,18

Hoje é o dia em que se comemora a festa dos Santos Inocentes. Para quem não lembra a história, após o nascimento de Jesus, tendo sido avisado que estaria nascendo em Belém o Rei dos Judeus, Heródes, rei naquela época mandou matar todas as crianças com menos de dois anos de idade, para tentar liquidar o menino Jesus.

Hoje, também, foi o dia em que a Ministra de Dilma, deu uma entrevista à Folha de São Paulo mostrando que tudo que Dilma falou sobre o aborto na campanha não era para ser levado a sério.

Eles vão implantar o aborto no Brasil e se escolheu um dia cheio de simbolismo para fazer este anúncio.

Os Bispos que não ouviram o apelo do Santo Padre, entre eles a maior parte dos arcebispos brasileiros, terão suas mãos sujas do sangue destes inocentes que por sua pusilanimidade e omissão não foram protegidos.