Arquivo da categoria: Religião

Um tal de @betopadre resolve dar uma de herege e toma uma excomunhão na lata

1010037

1010037 (Photo credit: El Bibliomata)

Há muito tempo não tinhamos no Brasil bispos com aquilo roxo como diria o famigerado Fernando Collor de Melo. Mas ontem o bispo de Bauru Dom Caetano Ferrari mostrou que é cabra homi.

Havia lá um padre que era conhecido no popular como Padre Beto, o Pe. (excomungado) Roberto Francisco Daniel que resolveu pregar uma religião distinta da Católica. Este padre foi chamado pelo bispo a se retratar das baboseiras que havia falado em contra da moral do catecismo.

O Pe. Beto pediu truco e o bispo colou o zap na testa dele usando o artigo 1364 do código de direito canônico que diz que que aquele que incorre em heresia pode ser excomungado. A excomunhão é a pena mais grave prevista no código de direito canônico.

Hoje o Pe. Beto postou no Facebook: “Eu me sinto honrado em pertencer à lista de muitas pessoas humanas que foram assassinadas e queimadas vivas por pensarem e buscarem o conhecimento. Agradeço à Diocese de Bauru.”

Ligando a tecla SAP, Corisco responde a ele, não Pe. Beto o senhor não é um Lutero, a sua teologia rasa de pires não serve nem para lamber as sandálias dos grandes hereges que pelo menos criavam heresias originais.

Anúncios

Há 50 anos Fidel Castro era excomungado

English: The Cuban leader Fidel Castro. Españo...

A Igreja Católica dentro de seu direito penal possui, de maneira geral, três modalidades de penas: as censuras, as interdições e as excomunhões.

A mais grave das penas eclesiásticas é a excomunhão. Através dela a pessoa excomungada fica privada de qualquer auxílio espiritual da Igreja e impedida de receber qualquer sacramento.

As penas de excomunhão são aplicadas de duas formas: Latae Sententiae e Ferendae Sententiae. A primeira é aplicada automaticamente para algumas ações especialmente graves. Se uma mulher faz aborto, ela está excomungada, o médico e todos os que participaram no aborto também. Neste caso quem tem autoridade para remover a excomunhão é o bispo da diocese onde foi praticado o ato que gerou a excomunhão.

Se um sacerdote viola o segredo da confissão, ele está automaticamente excomungado e devido a gravidade do fato a excomunhão só pode ser removida pelo Papa.

No entanto em algumas situações especificamente muito graves os Papas, ou em suas dioceses os bispos, podem decretar a excomunhão de uma determinada pessoa. Isto se dá em situações realmente graves em que o conjunto dos atos da pessoa faz com que seja inviável sua permanência na Igreja.

Até onde sei, e pesquisei bastante, a última pessoa que teve a excomunhão declarada solenemente por um Papa foi o ditador carniceiro de Cuba, Fidel Castro. Há 50 anos, em 3 de Janeiro de 1962 o Papa João XXIII excomungou Fidel pelas agressões que este perpetrou contra instituições católicas em Cuba. E Fidel até os dias de hoje segue excomungado.

Este blog não se alegra com a excomunhão de Fidel, mas crê que este remédio (da excomunhão) poderia ser aplicado outras vezes para ditadores e pseudo-ditatores que se dizem católicos e promovem o aborto e outras aberrações.

Feliz Natal da ditadura politicamente correta

Eu quero desejar a todos um Santo Natal com a benção do menino Jesus.

Enquanto isso no mundo politicamente correto…

All I wanted to say was “Merry Christmas and Happy New Year” but nowadays everything has to be reviewed by the Legal & Compliance department, so here is the result:

From me (“the wishor”) to you (“the wishee”):

Please accept without obligation, implied or implicit, my best wishes for an environmentally conscious, socially responsible, politically correct, low stress, non-addictive, gender neutral, celebration of the summer (or winter, as the case may be) solstice holiday, practised within the most enjoyable traditions of the religious persuasion of your choice, or secular practices of your choice, with respect for the religious/secular persuasions and/or traditions of others, or their choice not to practice religious or secular traditions at all.

I wish you a financially successful, personally fulfilling and medically uncomplicated recognition of the onset of the generally accepted calendar year 2012 , but with due respect for the calendars of choice of other cultures or sects, and having regard to the race, creed, colour, age, physical ability, religious faith, choice of computer platform or sexual preference of the wishee.
By accepting this greeting you are bound by these terms that :

  • This greeting is subject to further clarification or withdrawal.
  • This greeting is freely transferable provided that no alteration shall be made to the original greeting and that the proprietary rights of the wishor are acknowledged.
  • This greeting implies no promise by the wishor to actually implement any of the wishes.
  • This greeting may not be enforceable in certain jurisdictions and/or the restrictions herein may not be binding upon certain wishees in certain jurisdictions and is revocable at the sole discretion of the wishor.
  • This greeting is warranted to perform as reasonably may be expected within the usual application of good tidings, for a period of one year or until the issuance of a subsequent holiday greeting, whichever comes first.
  • The wishor warrants this greeting only for the limited replacement of this wish or issuance of a new wish at the sole discretion of the wishor.

Any references in this greeting to “the Lord”, “Father Christmas”, “Our Saviour”, “Rudolph the red nosed reindeer” or any other festive figures, whether actual or fictitious, dead or alive, shall not imply any endorsement by or from them in respect of this greeting, and all proprietary rights in any referenced third party names and images are hereby acknowledged.

Aborto, Dilma, Herodes e Bispos fracos

vox in Rama audita est ploratus et ululatus multus Rachel plorans filios suos et noluit consolari quia non sunt – Mt 2,18

Hoje é o dia em que se comemora a festa dos Santos Inocentes. Para quem não lembra a história, após o nascimento de Jesus, tendo sido avisado que estaria nascendo em Belém o Rei dos Judeus, Heródes, rei naquela época mandou matar todas as crianças com menos de dois anos de idade, para tentar liquidar o menino Jesus.

Hoje, também, foi o dia em que a Ministra de Dilma, deu uma entrevista à Folha de São Paulo mostrando que tudo que Dilma falou sobre o aborto na campanha não era para ser levado a sério.

Eles vão implantar o aborto no Brasil e se escolheu um dia cheio de simbolismo para fazer este anúncio.

Os Bispos que não ouviram o apelo do Santo Padre, entre eles a maior parte dos arcebispos brasileiros, terão suas mãos sujas do sangue destes inocentes que por sua pusilanimidade e omissão não foram protegidos.

 

Dando nome aos Bispos (I) – Dom Luiz Carlos Eccel

Conforme prometido anteriormente chegou a hora de dar nome aos Bispos que se omitiram diante da indicação do Papa com relação ao Aborto ou que fizeram justamente o contrário.

Não nos cabe julgar mas apresentar fatos e permitir que você leitor chegue a uma conclusão.

No dia 2 de Novembro publicamos um texto que falava que a maioria dos Bispos ignorou o apelo do Santo Padre para orientar os fiéis em matéria política quando estivesse em jogo a defesa da vida, em especial o aborto.

Acontece que nem todos ignoraram, Dom Luiz Carlos Eccel decidiu orientar seus fiéis segundo sua cabeça: Bispo de Caçador divulga apoio a Dilma.

A seguir, o bispo afirma que Lula “tem defendido a vida, e sempre se pronunciou contra o aborto. Nesses últimos anos o Brasil tem crescido e melhorado em todos os aspectos, de maneira especial no respeito à vida e a valorização da dignidade humana. Esta é a Vontade de Deus! E as pessoas, em plena posse de suas faculdades mentais, vão
reconhecer esta verdade.”

Considerando o vídeo abaixo parece que Dom Luiz não entendeu o que o Papa falou ou decidiu fazer justamente o contrário: apoiar quem é a favor do aborto.

A resposta do Papa, pelo menos é minha leitura, veio hoje (24/11/2010) num comunicado da Sala de Imprensa do Vaticano: “Il Santo Padre Benedetto XVI ha accettato la rinuncia al governo pastorale della diocesi di Caçador (Brasile), presentata da S.E. Mons. Luiz Carlos Eccel, in conformità al can. 401 § 2 del Codice di Diritto Canonico.

Que podemos traduzir como: O Santo Padre Bento XVI aceitou hoje a renúncia al governo pastoral da diocese de Caçador, SC, Brasil, apresentada por Dom Luiz Carlos Eccel, em conformidade com o cânon 401 § 2 do Código de Direito Canônico.

E o que diz o Cânon 401§ 2 do Código de Direito Canônico?

Cân.  401  § 1. O Bispo diocesano, que tiver completado setenta e cinco anos de idade, é solicitado a apresentar a renúncia do ofício ao Sumo Pontífice, que, ponderando todas as circunstâncias, tomará providências.

§ 2. O Bispo diocesano que, por doença ou por outra causa grave, se tiver tornado menos capacitado para cumprir seu ofício, é vivamente solicitado a apresentar a renúncia do ofício.

A CNBB divulgou uma nota dizendo que o Bispo se afasta para cuidar de sua saúde. Esperamos que Dom Luiz, que completou 58 anos no último dia 18/11 recupere a saúde em todos os sentidos e que medite com vagar nos conselhos que o Santo Padre deu aos Bispos do Maranhão e do Brasil.

Discurso do Papa foi ignorado pela maioria dos Bispos

Vatican. Pope Benedict XVI.

Image via Wikipedia

Este post é para um registro histórico, mais para frente daremos nome aos bois, quer dizer aos Bispos.

Segue o discurso completo do dia 28/10/2010, grifos são meus, para ajudar aos Bispos que não conseguiram ou não quiseram entender o texto.

Amados Irmãos no Episcopado, «Para vós, graça e paz da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo» (2 Cor 1, 2). Desejo antes de mais nada agradecer a Deus pelo vosso zelo e dedicação a Cristo e à sua Igreja que cresce no Regional Nordeste 5. Lendo os vossos relatórios, pude dar-me conta dos problemas de caráter religioso e pastoral, além de humano e social, com que deveis medir-vos diariamente. O quadro geral tem as suas sombras, mas tem também sinais de esperança, como Dom Xavier Gilles acaba de referir na saudação que me dirigiu, dando livre curso aos sentimentos de todos vós e do vosso povo. Como sabeis, nos sucessivos encontros com os diversos Regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, tenho sublinhado diferentes âmbitos e respectivos agentes do multiforme serviço evangelizador e pastoral da Igreja na vossa grande Nação; hoje, gostaria de falar-vos de como a Igreja, na sua missão de fecundar e fermentar a sociedade humana com o Evangelho, ensina ao homem a sua dignidade de filho de Deus e a sua vocação à união com todos os homens, das quais decorrem as exigências da justiça e da paz social, conforme à sabedoria divina. Entretanto, o dever imediato de trabalhar por uma ordem social justa é próprio dos fiéis leigos, que, como cidadãos livres e responsáveis, se empenham em contribuir para a reta configuração da vida social, no respeito da sua legítima autonomia e da ordem moral natural (cf. Deus caritas est, 29). O vosso dever como Bispos junto com o vosso clero é mediato, enquanto vos compete contribuir para a purificação da razão e o despertar das forças morais necessárias para a construção de uma sociedade justa e fraterna. Quando, porém, os direitos fundamentais da pessoa ou a salvação das almas o exigirem, os pastores têm o grave dever de emitir um juízo moral, mesmo em matérias políticas (cf. GS, 76). Ao formular esses juízos, os pastores devem levar em conta o valor absoluto daqueles preceitos morais negativos que declaram moralmente inaceitável a escolha de uma determinada ação intrinsecamente má e incompatível com a dignidade da pessoa; tal escolha não pode ser resgatada pela bondade de qualquer fim, intenção, conseqüência ou circunstância. Portanto, seria totalmente falsa e ilusória qualquer defesa dos direitos humanos políticos, econômicos e sociais que não compreendesse a enérgica defesa do direito à vida desde a concepção até à morte natural (cf. Christifideles laici, 38). Além disso no quadro do empenho pelos mais fracos e os mais indefesos, quem é mais inerme que um nascituro ou um doente em estado vegetativo ou terminal? Quando os projetos políticos contemplam, aberta ou veladamente, a descriminalização do aborto ou da eutanásia, o ideal democrático – que só é verdadeiramente tal quando reconhece e tutela a dignidade de toda a pessoa humana – é atraiçoado nas suas bases (cf. Evangelium vitæ, 74). Portanto, caros Irmãos no episcopado, ao defender a vida «não devemos temer a oposição e a impopularidade, recusando qualquer compromisso e ambigüidade que nos conformem com a mentalidade deste mundo» (ibidem, 82). Além disso, para melhor ajudar os leigos a viverem o seu empenho cristão e sócio-político de um modo unitário e coerente, é «necessária — como vos disse em Aparecida — uma catequese social e uma adequada formação na doutrina social da Igreja, sendo muito útil para isso o “Compêndio da Doutrina Social da Igreja”» (Discurso inaugural da V Conferência Geral do Episcopado Latino-Americano e do Caribe, 3). Isto significa também que em determinadas ocasiões, os pastores devem mesmo lembrar a todos os cidadãos o direito, que é também um dever, de usar livremente o próprio voto para a promoção do bem comum (cf. GS, 75). Neste ponto, política e fé se tocam. A fé tem, sem dúvida, a sua natureza específica de encontro com o Deus vivo que abre novos horizontes muito para além do âmbito próprio da razão. «Com efeito, sem a correção oferecida pela religião até a razão pode tornar-se vítima de ambigüidades, como acontece quando ela é manipulada pela ideologia, ou então aplicada de uma maneira parcial, sem ter em consideração plenamente a dignidade da pessoa humana» (Viagem Apostólica ao Reino Unido, Encontro com as autoridades civis, 17-IX-2010). Só respeitando, promovendo e ensinando incansavelmente a natureza transcendente da pessoa humana é que uma sociedade pode ser construída. Assim, Deus deve «encontrar lugar também na esfera pública, nomeadamente nas dimensões cultural, social, econômica e particularmente política» (Caritas in veritate, 56). Por isso, amados Irmãos, uno a minha voz à vossa num vivo apelo a favor da educação religiosa, e mais concretamente do ensino confessional e plural da religião, na escola pública do Estado. Queria ainda recordar que a presença de símbolos religiosos na vida pública é ao mesmo tempo lembrança da transcendência do homem e garantia do seu respeito. Eles têm um valor particular, no caso do Brasil, em que a religião católica é parte integral da sua história. Como não pensar neste momento na imagem de Jesus Cristo com os braços estendidos sobre a baía da Guanabara que representa a hospitalidade e o amor com que o Brasil sempre soube abrir seus braços a homens e mulheres perseguidos e necessitados provenientes de todo o mundo? Foi nessa presença de Jesus na vida brasileira, que eles se integraram harmonicamente na sociedade, contribuindo ao enriquecimento da cultura, ao crescimento econômico e ao espírito de solidariedade e liberdade. Amados Irmãos, confio à Mãe de Deus e nossa, invocada no Brasil sob o título de Nossa Senhora Aparecida, estes anseios da Igreja Católica na Terra de Santa Cruz e de todos os homens de boa vontade em defesa dos valores da vida humana e da sua transcendência, junto com as alegrias e esperanças, as tristezas e angústias dos homens e mulheres da província eclesiástica do Maranhão. A todos coloco sob a Sua materna proteção, e a vós e ao vosso povo concedo a minha Benção Apostólica.