Arquivos do Blog

Um tal de @betopadre resolve dar uma de herege e toma uma excomunhão na lata

1010037

1010037 (Photo credit: El Bibliomata)

Há muito tempo não tinhamos no Brasil bispos com aquilo roxo como diria o famigerado Fernando Collor de Melo. Mas ontem o bispo de Bauru Dom Caetano Ferrari mostrou que é cabra homi.

Havia lá um padre que era conhecido no popular como Padre Beto, o Pe. (excomungado) Roberto Francisco Daniel que resolveu pregar uma religião distinta da Católica. Este padre foi chamado pelo bispo a se retratar das baboseiras que havia falado em contra da moral do catecismo.

O Pe. Beto pediu truco e o bispo colou o zap na testa dele usando o artigo 1364 do código de direito canônico que diz que que aquele que incorre em heresia pode ser excomungado. A excomunhão é a pena mais grave prevista no código de direito canônico.

Hoje o Pe. Beto postou no Facebook: “Eu me sinto honrado em pertencer à lista de muitas pessoas humanas que foram assassinadas e queimadas vivas por pensarem e buscarem o conhecimento. Agradeço à Diocese de Bauru.”

Ligando a tecla SAP, Corisco responde a ele, não Pe. Beto o senhor não é um Lutero, a sua teologia rasa de pires não serve nem para lamber as sandálias dos grandes hereges que pelo menos criavam heresias originais.

Anúncios

O aborto no Brasil e a CNBB

Prezados leitores, sei que não não temos sido nada assíduos aqui neste blog, no entanto gostaria de contar com a sua atenção um momento.

O tema do aborto no Brasil foi amplamente discutido na campanha de 2010 e o próprio PT havia posto isso no seu programa de governo. Dilma havia se declarado favorável à pratica de matar criancinhas no ventre materno, isto é o aborto, e não era de se esperar menos que o PT fizesse o que queria fazer.

O problema está aí. A Ministra das Mulheres (quando vai ter um ministro dos homens?) é favorável ao aborto e confessou crime de aborto cometido na Colombia.

Enquanto isso na CNBB …

A Igreja no Brasil está na lona e depois o pessoal não sabe a razão …

Ministra Eleonora Menicucci devia ser extraditada para a Colômbia

A ministra das mulheres Eleonora Menicucci confessou, como lemos no blog do Reinaldo Azevedo, que cometeu um crime (pelo menos um) na Colômbia.

O aborto, para cada vez que foi cometido, leva consigo, segundo o código penal colombiano, uma pena de 1 a 3 anos de cadeia.

Seria interessante que um promotor colombiano pedisse a prisão de Eleanora Menicucci e sua extradição para a Colômbia.

Podiam até oferecer uma recompensa …

Não preciso lembrar aqui quem são alguns dos responsáveis por ela estar aí …

Os Bispos do Brasil são uma vergonha

Antes de descer a lenha faço uma observação: sou católico, vou a Missa todos os Domingos, confesso pelo menos uma vez a cada mês, rezo, etc. Ou seja: católico praticante.

Feita esta observação agora o pau come, leia o que vai no G1 (dica do @coroneldoblog) e volto a seguir:

A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) divulgou nota nesta sexta-feira (17) em que afirma que “as decisões sobre o Código Florestal não podem ser motivadas por uma lógica produtivista que não leva em consideração a proteção da natureza, da vida humana e das fontes da vida”. Na nota, os bispos manifestaram preocupação tanto com a amenda 164 quanto com anistia a desmatadores. Segundo o presidente da CNBB, dom Raymundo Damasceno, a Igreja Católica vai apoiar a coleta de assinaturas nas paróquias de todo o país contra as mudanças no código feitas pela Câmara. “Convocamos nossas comunidades a participarem desse processo de aperfeiçoamento do Código Florestal, mobilizando as forças sociais e promovendo abaixo-assinado contra a devastação.” O secretário-geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, disse que os bispos vão participar do debate no Senado. “Gostaríamos de fazer um pouco de pressão”, afirmou. Steiner citou como exemplo de pressão feita pela Igreja a coleta de assinaturas para o projeto de iniciativa popular que deu origem à Lei da Ficha Limpa.

É muita falta de vergonha na cara. Para quem não lembra, o Cardeal Dom Odilo Scherer proibiu a distribuição do folheto contra o aborto ano passado na Catedral da Sé (a mesma catedral que foi profanada no tal do plebiscito de estatização da Vale), Dom Orani, que não foi feito Cardeal, também fez ouvidos surdos aos apelos do Papa para que se pronunciasse às vésperas da eleição. Outros importantes bispos e cardeais colocaram o rabo entre as pernas, se omitiram, ignoraram o apelo do Papa e agora vem com esta palhaçada numa questão que nem conseguiram compreender.

Então estamos combinados: aborto = silêncio. Lei justa que faz bem para o Brasil eles são contra e usurpam a estrutura da Igreja Católica para fazer política…

Aborto, Dilma, Herodes e Bispos fracos

vox in Rama audita est ploratus et ululatus multus Rachel plorans filios suos et noluit consolari quia non sunt – Mt 2,18

Hoje é o dia em que se comemora a festa dos Santos Inocentes. Para quem não lembra a história, após o nascimento de Jesus, tendo sido avisado que estaria nascendo em Belém o Rei dos Judeus, Heródes, rei naquela época mandou matar todas as crianças com menos de dois anos de idade, para tentar liquidar o menino Jesus.

Hoje, também, foi o dia em que a Ministra de Dilma, deu uma entrevista à Folha de São Paulo mostrando que tudo que Dilma falou sobre o aborto na campanha não era para ser levado a sério.

Eles vão implantar o aborto no Brasil e se escolheu um dia cheio de simbolismo para fazer este anúncio.

Os Bispos que não ouviram o apelo do Santo Padre, entre eles a maior parte dos arcebispos brasileiros, terão suas mãos sujas do sangue destes inocentes que por sua pusilanimidade e omissão não foram protegidos.

 

Um que honra a batina que veste – Parte I

Alguns já terão visto, mas acho que vale a pena ver de novo. Se eu tivesse que escolher um vídeo para o ano de 2010 seria este. O Pe. José Augusto sumiu da Canção Nova, pelo menos não tem mais a exposição que tinha, mas ele não foi omisso como alguns bispos, nem traidor como outros que já relatamos aqui.

Dando nome aos bispos (III) – Dom Odilo Scherer

Neste apanhado (parte 1 e parte 2) que faço, nomeando os Bispos brasileiros que não seguiram a indicação claríssima de Bento XVI para que orientassem os fiéis em matéria política, principalmente quando estivesse em jogo a vida humana, chegou o momento de falar dos Cardeais brasileiros.

Hoje vamos falar de Dom Odilo Scherer, um bispo jovem (61 anos) e cardeal há três anos. Dom Odilo foi dos que se omitiu, posso dizer isto com enorme tranquilidade pois é a mais pura verdade.

Quando começou a circular o tema do aborto na campanha e vários bispos lançaram um texto aprovado pela Regional Sul 1 da CNBB condenando, entre outras coisas, o Partido dos Trabalhadores pelo apoio ao PNDH3 e pela expulsão de deputados que haviam se manifestado contra o aborto, Dom Odilo publicou uma nota em que dizia que tomar partido nas eleições era algo que dividia a comunidade (como se Cristo não tivesse sido um sinal de contradição: Lc 12, 53) e que portanto os padres se abstivessem de dar conselhos nesta linha. Que aconselhassem os fiéis a seguir sua consciência cristã.

Até este momento Dom Odilo exercia seu papel de pastor, de acordo com sua consciência, talvez alguns achassem-no pusilânime, mas estava dentro dos limites do que poderiamos chamar de opinável. Vale lembrar, no entanto, que Dom Odilo não quis que se fizesse uma passeata contra o aborto saindo da Sé enquanto várias vezes a mesma Catedral foi usada pelos adeptos da teologia da libertação para suas palhaçadas.

No entanto, quando o Papa falou, e fez um apelo claríssimo aos Bispos brasileiros, mais claro como nunca se viu na história do Brasil, o silêncio que saiu da Arquidiocese de São Paulo foi ensurdecedor.

Um amigo que dirige um movimento pró-vida diz, e eu acredito piamente nele, que Dom Odilo foi lembrado dezenas de vezes através de telefonemas e e-mails do seu dever de pastor à luz do que havia dito o Santo Padre; no entanto Dom Odilo se calou. Depois de muita importunação se publicou a mensagem do Papa no site da Arquidiocese e um texto dizendo que Dom Odilo já havia orientado seus fiéis a votarem de acordo com sua consciência …

Em defesa de Dom Odilo pode-se aduzir que talvez tenha sentido medo, afinal São Paulo foi uma cidade em que a teologia da libertação encontrou berço fértil durante muitos anos, ou que no calor do momento não conseguiu compreender bem o alcance da mensagem do Papa. No entanto os fiéis da Arquidiocese de São Paulo esperam uma retificação, esperam que ele observe outros irmãos seus no episcopado que deram a cara a tapa e considere o alcance que pode ter a sua omissão.

Dando nome aos Bispos (II) – Dom Luiz Demétrio Valentini

Um dos posts mais vistos da semana passada é o Dando nome aos Bispos (I) onde estamos comentando os Bispos que ignoraram a indicação do Santo Padre e dos que foram frontalmente contra ela.

As nomeações e renúncias de Bispos ocorrem todo dia e podem ser consultadas pelo Vatican Information Service. As do Brasil costumam ser às quartas-feiras, portanto pode ser que amanhã tenhamos outras surpresas.

De qualquer maneira, hoje queria falar do Bispo de Jales no interior de São Paulo, Dom Luiz Demétrio Valentini. Pode-se dizer, lendo seus escritos, que foi um grande apoiador da campanha do PT e um dos que ignoraram a questão do apoio ao Aborto declarado por este mesmo partido como mostramos na parte I desta série.

É um mysterium iniquitatis tentar entender a posição deste Bispo, principalmente para os que não somos eclesiásticos e nem estamos engajados em movimentos pastorais. No entanto, um olhar na página da diocese de Jales fez com que compreendêssemos um pouco como se chegou a tamanha cegueira.

Olhando as fotos oficiais dos Padres da Diocese, que juntamos num mosaico para facilitar a compreensão do fenômeno, vemos que a questão da veste que distingue o sacerdote não é utilizada nem mesmo para a foto oficial que vai para o site, com duas exceções. Não que a veste eclesiástica seja um sinal absoluto da vida espiritual e pastoral do sacerdote, mas dá pistas de como andam as coisas.

Além disso, agrupando os escritos do senhor Bispo de Jales, num arquivo PDF, para que possam ver o tom dos discursos onde o espiritual raramente comparece; cada um dos leitores pode ter mais luzes para ver que naquele ambiente dificilmente as palavras do Santo Padre teriam eco.

O Bispo de Jales tem hoje 70 anos. Teoricamente tem mais cinco anos a frente da Diocese, no entanto, vendo os acontecimentos de quarta-feira passada talvez possamos crer que, a menos que ocorra uma guinada espiritual em sua diocese, este tempo pode ser bem mais curto.

Dando nome aos Bispos (I) – Dom Luiz Carlos Eccel

Conforme prometido anteriormente chegou a hora de dar nome aos Bispos que se omitiram diante da indicação do Papa com relação ao Aborto ou que fizeram justamente o contrário.

Não nos cabe julgar mas apresentar fatos e permitir que você leitor chegue a uma conclusão.

No dia 2 de Novembro publicamos um texto que falava que a maioria dos Bispos ignorou o apelo do Santo Padre para orientar os fiéis em matéria política quando estivesse em jogo a defesa da vida, em especial o aborto.

Acontece que nem todos ignoraram, Dom Luiz Carlos Eccel decidiu orientar seus fiéis segundo sua cabeça: Bispo de Caçador divulga apoio a Dilma.

A seguir, o bispo afirma que Lula “tem defendido a vida, e sempre se pronunciou contra o aborto. Nesses últimos anos o Brasil tem crescido e melhorado em todos os aspectos, de maneira especial no respeito à vida e a valorização da dignidade humana. Esta é a Vontade de Deus! E as pessoas, em plena posse de suas faculdades mentais, vão
reconhecer esta verdade.”

Considerando o vídeo abaixo parece que Dom Luiz não entendeu o que o Papa falou ou decidiu fazer justamente o contrário: apoiar quem é a favor do aborto.

A resposta do Papa, pelo menos é minha leitura, veio hoje (24/11/2010) num comunicado da Sala de Imprensa do Vaticano: “Il Santo Padre Benedetto XVI ha accettato la rinuncia al governo pastorale della diocesi di Caçador (Brasile), presentata da S.E. Mons. Luiz Carlos Eccel, in conformità al can. 401 § 2 del Codice di Diritto Canonico.

Que podemos traduzir como: O Santo Padre Bento XVI aceitou hoje a renúncia al governo pastoral da diocese de Caçador, SC, Brasil, apresentada por Dom Luiz Carlos Eccel, em conformidade com o cânon 401 § 2 do Código de Direito Canônico.

E o que diz o Cânon 401§ 2 do Código de Direito Canônico?

Cân.  401  § 1. O Bispo diocesano, que tiver completado setenta e cinco anos de idade, é solicitado a apresentar a renúncia do ofício ao Sumo Pontífice, que, ponderando todas as circunstâncias, tomará providências.

§ 2. O Bispo diocesano que, por doença ou por outra causa grave, se tiver tornado menos capacitado para cumprir seu ofício, é vivamente solicitado a apresentar a renúncia do ofício.

A CNBB divulgou uma nota dizendo que o Bispo se afasta para cuidar de sua saúde. Esperamos que Dom Luiz, que completou 58 anos no último dia 18/11 recupere a saúde em todos os sentidos e que medite com vagar nos conselhos que o Santo Padre deu aos Bispos do Maranhão e do Brasil.

Dilma, o aborto e os Bispos que se calaram

Vejam o vídeo abaixo se ainda não viram:

Ainda não chegou o momento de dar nome aos bois, quer dizer aos Bispos, mas espero que ainda esta semana seja possível escrever a respeito.

Convém notar que a visita ad limina dos Bispos do Maranhão ao Papa terminava no sábado dia 30/10 e o Papa quis antecipar o discurso para 28/10. Porque será que o Papa quis antecipar o discurso? Será que não estava mandando aos Bispos brasileiros o recado mais claro possível de que havia chegado a hora de se manifestarem de maneira clara?

Agora vejam o que o governo publicou no diário oficial um dia depois do primeiro turno das eleições (04/10): “Objetivo: descriminalizar o aborto até Fev/2011“. E agora senhores Bispos que não ouviram a voz do Sumo Pontífice?