Arquivos do Blog

Zé Dirceu – 10 anos e 10 meses de cadeia: ficou barato.

Ficou barato, Zé. Só 10 anos e 10 meses de cadeia.

Vejam como o direito penal no Brasil é brando. Em 21 meses o Zé sai da sua cela e vai para o regime semi-aberto. No semi-aberto ele só tem que dormir no xilindró, o resto do tempo pode passar trabalhando (tá, vai nessa). Depois de mais uns poucos anos vai para o regime aberto, onde pode dormir em casa e só fica restrito de sair da cidade.

Se o Zé tivesse nascido nos EUA teria pego life in prision. Se fosse na China uma bala na cabeça. Em Cuba, bom em Cuba nem julgamento teria.

Anúncios

Há 50 anos Fidel Castro era excomungado

English: The Cuban leader Fidel Castro. Españo...

A Igreja Católica dentro de seu direito penal possui, de maneira geral, três modalidades de penas: as censuras, as interdições e as excomunhões.

A mais grave das penas eclesiásticas é a excomunhão. Através dela a pessoa excomungada fica privada de qualquer auxílio espiritual da Igreja e impedida de receber qualquer sacramento.

As penas de excomunhão são aplicadas de duas formas: Latae Sententiae e Ferendae Sententiae. A primeira é aplicada automaticamente para algumas ações especialmente graves. Se uma mulher faz aborto, ela está excomungada, o médico e todos os que participaram no aborto também. Neste caso quem tem autoridade para remover a excomunhão é o bispo da diocese onde foi praticado o ato que gerou a excomunhão.

Se um sacerdote viola o segredo da confissão, ele está automaticamente excomungado e devido a gravidade do fato a excomunhão só pode ser removida pelo Papa.

No entanto em algumas situações especificamente muito graves os Papas, ou em suas dioceses os bispos, podem decretar a excomunhão de uma determinada pessoa. Isto se dá em situações realmente graves em que o conjunto dos atos da pessoa faz com que seja inviável sua permanência na Igreja.

Até onde sei, e pesquisei bastante, a última pessoa que teve a excomunhão declarada solenemente por um Papa foi o ditador carniceiro de Cuba, Fidel Castro. Há 50 anos, em 3 de Janeiro de 1962 o Papa João XXIII excomungou Fidel pelas agressões que este perpetrou contra instituições católicas em Cuba. E Fidel até os dias de hoje segue excomungado.

Este blog não se alegra com a excomunhão de Fidel, mas crê que este remédio (da excomunhão) poderia ser aplicado outras vezes para ditadores e pseudo-ditatores que se dizem católicos e promovem o aborto e outras aberrações.

Chico devolve o Jabuti, rápido Chico, devolve rápido!

Sei que parece não ter muito a ver com a resistência, mas como pregava Gramsci, tem muito a ver.

Recomendo tirar uns 10 minutos para ler o texto do Reinaldo Azevedo: O editor do Planalto se vê obrigado a debater na planície. Está zangado porque azedamos o leitinho de Chico Buarque

E não se esqueça de assinar a petição: Devolve o Jabuti Chico!

A mentira como método – Parte II

Como se pode ver é um método das esquerdas. Na verdade, para ser justos não só das esquerdas, mas dos regimes com tendências ditatoriais.

Vejam o vídeo abaixo que o Reinaldo Azevedo recuperou há uns dias:

Quem é o professor?

Das ist natürlich für die Betroffenen mehr als peinlich. Man soll im allgemeinen seine Führungsgeheimnisse nicht verraten, zumal man nicht weiß, ob und wann man sie noch einmal gut gebrauchen kann. Das haupt-sächlichste englische Führungsgeheimnis ist nun nicht so sehr in einer besonders hervorstechenden Intelligenz als vielmehr in einer manchmal geradezu penetrant wirkenden dummdreisten Dickfelligkeit zu finden. Die Engländer gehen nach dem Prinzip vor, wenn du lügst, dann lüge gründlich, und vor allem bleibe bei dem, was du gelogen hast! Sie bleiben also bei ihren Schwindeleien, selbst auf die Gefahr hin, sich damit lächerlich zu machen — Joseph Goebbels

Para os que não dominam o alemão eu traduzo 🙂

Isso é, naturalmente, bastante doloroso para os envolvidos. Não se deve, em regra revelar os segredos, pois não se sabe se e quando podemos precisar deles de novo. O segredo da liderança essencial dos ingleses não depende de inteligência particular. Pelo contrário, ela depende de uma notável estúpidez e casca grossa. Os ingleses seguem o princípio de que quando se mente, deve-se mentir para valer, mentir, mentir, mentir e manter-se firme na sua versão. Eles mantêm as suas mentiras, mesmo correndo o risco de parecerem ridículos. — Joseph Goebbels.

Pois é, funciona até os nossos dias …