Arquivos do Blog

Ministra Eleonora Menicucci devia ser extraditada para a Colômbia

A ministra das mulheres Eleonora Menicucci confessou, como lemos no blog do Reinaldo Azevedo, que cometeu um crime (pelo menos um) na Colômbia.

O aborto, para cada vez que foi cometido, leva consigo, segundo o código penal colombiano, uma pena de 1 a 3 anos de cadeia.

Seria interessante que um promotor colombiano pedisse a prisão de Eleanora Menicucci e sua extradição para a Colômbia.

Podiam até oferecer uma recompensa …

Não preciso lembrar aqui quem são alguns dos responsáveis por ela estar aí …

Para Dilma: “Quem brinca com fogo faz xixi na cama”

Ouvi narrar de uma testemunha ocular, talvez melhor seria auricular, que em 1961 o então presidente Jânio Quadros teria renunciado como forma de fazer com que os militares o apoiassem em um projeto de golpe de estado. A conversa, segundo a narração que escutei teria sido algo como:

– Eu penso em renúnciar porque o Congresso não me deixa governar.
– Perfeitamente presidente. Aceitamos a renúncia.

O que aconteceu depois, inclusive no contra-golpe que os militares deram nos comunistas em 31 de março de 1964 é um desenvolvimento deste acontecimento.

Ao nomear Celso Amorim para ministro da defesa, Dilma dá um perigoso passo rumo ao abismo. É obvio que os generais atualmente são muito fracos, que o país mudou, que as circunstâncias são distintas de 1964, que o mundo não vê com bons olhos reações da direita, etc. Por outro lado, Dilma esticou demais uma corda que não precisaria ser esticada.

Parece uma provocação barata, eu diria uma forma de vingança contra homens que ganham mal, servem à pátria e agora são humilhados. Dilma diz ter sido perseguida pelo regime militar e este parece ser o troco, algo que poderia ser verbalizado assim: ‘Vocês me torturaram, agora vão ser comandados por um bolivariano comuna’ ou então ‘botei o Amorim porque não encontrei nada pior’

A pergunta que não quer calar é: até quando os militares vão ser humilhados? Será que não há ninguém que se indigne nas forças armadas?

Revolução democrática de 1964 - Povo apoia

Palocci podia dar consultoria para esta senhora de 83 anos que perdeu todo seu dinheiro

Como se safadeza fosse um artigo em falta no Brasil tem agora a safadeza das notas marcadas que os bancos fingem que não sabem de onde vem o problema.

Estava na capa do G1 agora esta notícia. Estes são os que o Brasil do PT trata como suspeitos de crimes. Enquanto o Procurador Geral da República não vê indícios de crime no caso do Ministro Antonio “Midas” Palocci esta pobre senhora vai ficar 30 dias sem seu dinheiro para que o Bradesco analise o caso. Não custa lembrar que o lucro líquido do Bradesco em 2010 foi de 10 bilhões de reais.

O catecismo que o Papa São Pio X editou tinha a seguinte pergunta:

963) Quais são os pecados que bradam ao Céu e pedem vingança a Deus?

e um dos quatro pecados que clama pela vingança de Deus era descrito como:

3º opressão dos pobres, principalmente órfãos e viúvas;

E finalizava com a seguinte nota:

Diz-se que estes pecados pedem vingança a Deus (…) porque a sua malícia é tão grave e manifesta, que provoca o mesmo Deus a puni-los com os mais severos castigos.

Alguém mostre isto para Dilma, Lula, Palocci, Dirceu e o Procurador Geral da República.

Lucia Hippolito se redimiu num post recente pedindo a cabeça de Palocci

Pegadinha do Palocci!

Image by everton137 via Flickr

Confesso que via a Lúcia Hippolito dos últimos meses, talvez dos últimos dois anos com um certo “pé atrás”. Parecia por demais alinhada com o governo e falando obviedades.

O post de hoje em que ela fala de Palocci merece ser lido na íntegra e vai abaixo. Apenas um comentário: Lúcia foi das poucas jornalistas que lembrou dos affairs de Palocci na malfadada mansão dos prazeres de Brasília.

Apanhado com a boca na botija, desmentido por um simples caseiro.

Foi assim que ficou demonstrado que o poderosíssimo ministro da Fazenda Antonio Palocci ia, sim, constantemente a uma alegre casa de Brasília, frequentada também por amigos de Ribeirão Preto, lobistas e garotas de programa, tudo “regado” pelos recursos “não contabilizados” do mensalão.

Confrontado com os fatos, Palocci primeiro mentiu consistentemente em vários fóruns: comissões do Congresso, entrevistas, sorrisos, encontro com banqueiros e empresários amigos — amicíssimos.

Mas o caseiro insistia.

Saiu do governo demitido por Lula, por pressão da opinião pública, depois de ter comandado a violação do sigilo bancário de um cidadão indefeso, cujo único crime tinha sido o de ter reconhecido a presença de Palocci, não uma, mas inúmeras vezes na “alegre mansão dos prazeres”.

Absolvido no STF num julgamento esquisitíssimo, por cinco votos a quatro, em que o voto que o livrou de um processo foi todo construído para torná-lo réu, e subitamente no último parágrafo o livrou, Palocci se sentiu com o caminho livre para continuar suas estripulias.

Não considerou haver nenhum impedimento ético ou moral ser deputado, pertencer à Comissão de Finanças e Tributação e, ao mesmo tempo, exercer consultorias remuneradas a peso de ouro para empresas ávidas de manter boas relações com o governo petista.

Coordenador da campanha de Dilma Rousseff, alega que interrompeu suas atividades milionárias, mas curiosamente, depois que a candidata foi eleita, recebeu R$ 10 milhões de seus “consultados”.

Comprou um apartamento de mais de R$ 6 milhões e um escritório de R$ 800 mil.

Seria a empresa de Palocci o correspondente à SMP&B de Marcus Valério? Caixa de um novo mensalão?

Teria Palocci retirado uma “pequena comissão” sem avisar os companheiros petistas de São Paulo? Porque não resta dúvida que veio do PT de São Paulo a denúncia de que o ex-médico sanitarista trotskista tinha virado um capitalista sensacional e aumentado mais de 20 vezes seu patrimônio. Alguns dizem que aumentou mais de 50 vezes!

E o que faz Palocci diante da enxurrada de perguntas?

Se deu certo uma vez, por que não tentar a segunda?

Cala-se. Depois mente, mente, mente. Se aparecer um novo problema, o STF está ai mesmo para livrá-lo de mais essa.

E não é que o problema surgiu, na figura de dois “laranjas” que aparecem como donos de uma empresa que aluga o apartamento onde Palocci mora em São Paulo?!

E mais: Gesmo Siqueira dos Santos, tio de Dayvini (laranjas que formalmente aparecem como donos do imóvel), responde a 35 processos, incluindo falsificação de documentos.

Entre a biografia e o prontuário, pelo visto Palocci já escolheu o prontuário.

E não é de hoje.

O fim do governo Dilma pode estar próximo

Presidência do Senado

Image by Agência Senado via Flickr

Já mencionamos aqui desde o final do ano passado que há razões de sobra para pedir o Impeachment de Dilma Vana Rousseff, no entanto, grande parte da imprensa, incluindo colunistas sérios tem ignorado ou esquecido estas razões.

Já não é de hoje que a Casa Civil virou a Casa da Sogra, Erenice e antes dela José Dirceu já haviam transformado aquele ministério em um dos lugares mais obscuros da república.

Por falar em Erenice, apesar das berrantes evidências de conduta criminosa que há contra ela e sua família, parece que caiu no esquecimento. Mas deixemos Erenice para outra ocasião.

A bola da vez, ou melhor o rolo da vez atende pelo nome de Antônio Palocci. Palocci, ministro da Economia de Lula, caiu pelo caseirogate, escândalo que apesar de gravíssimo fez deixar cair no esquecimento a acusação que fez Francenildo de que Palocci frequentava a mansão em Brasília onde, além das garotas de Jeany Mary Corner, se fazia abuntante lobby de origem não identificada.

A relação entre Palocci e a palavra lobby vem de 2006, não deveria ser novidade para nenhum jornalista que fosse minimamente alfabetizado.

Mas o que Palocci tem a ver com o fim do governo Dilma? É voz comum, mesmo em bocas de petralhas graduados que Palocci está para Dilma assim como PC está para o senador alagoano. Se Palocci cai, ele pode levar desta vez muito mais gente consigo que apenas um presidente da Caixa Econômica Federal.

Palocci e Francenildo – A história vai ficando pior

Palocci, Francenildo, Helena Chagas, Andrea Meirelles, Jorge Mattoso são alguns dos atores do Caseirogate que destruiu a vida de um pobre caseiro.

Pois bem, cinco anos depois, o diretor das Organizações Globo para Revistas, afirma em entrevista para o Brasil247 que foi o próprio Palocci que procurou a família Marinho para municiar contra o caseiro.

A história é escabrosa e chamou a atenção de Dora Krammer, sinal de que há indícios de que o assunto é quente. Dora publicou hoje em seu Twitter algo meio misterioso: “Bem mexida, essa história da armação Globo-Palocci caseiro derruba até ministro. E não é o Palocci.

A coisa é séria demais. A casa civil virou a casa da mãe joana há muito tempo, mas mesmo na casa da mãe joana há limites.

P.S. – Vale a pena ver a mensagem de @rafasoli

Dead Palocci Walking

Antonio Palocci é carta fora do baralho. Em um país decente talvez já estivesse preso há tempos, no Brasil é ministro. No entanto por mais sem vergonha que seja um país, por mais complacente com corrupção seja um povo, um ministro de estado não pode ter tantas evidencias de malfeitorias e continuar no cargo.

“Dead man walking”, além de um filme famoso, e por sinal muito bom, é uma gíria utilizada por guardas dos corredores da morte dos EUA quando acompanham o prisioneiro para a execução.

Palocci é dead man walking. O texto a seguir é de uma matéria do Estado de São Paulo: “Para evitar qualquer tipo de quebra ilegal do sigilo fiscal de sua empresa, o ministro da Casa Civil, Antonio Palocci, acionou o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab”. Palocci não quer ver seu ISS (ou a ausência dele) aparecer nos jornais, no entanto Kassab não tem nada com isso, e como membro da oposição deveria aproveitar para dizer em público: “A oposição não quebra sigilos, quem faz isso é o PT. Quem vai executar você são seus companheiros de partido”

Corisco defende a saída de Palocci, como defende o impeachment de Dilma Rousseff. Se o Brasil não tivesse traidores na oposição …

Fez bem o serviço secreto de revistar os ministros brasileiros

Na Folha
Por Natuza Nery e Patrícia Campos Mello:
O forte aparato de segurança do presidente Barack Obama constrangeu alguns ministros brasileiros. Segundo o relato de um desses ministros, as exigências para a entrada dos visitantes ao evento do mandatário americano com empresários dos dois países causou mal-estar entre as autoridades brasileiras.
Conforme o relato obtido pela Folha, cinco ministros de Dilma Rousseff teriam reclamado do esquema de segurança a que foram submetidos: Guido Mantega (Fazenda), Fernando Pimentel (Desenvolvimento, Indústria e Comércio), Aloizio Mercadante (Ciência e Tecnologia), Alexandre Tombini (Banco Central) e Edison Lobão (Minas e Energia).
Eles foram escoltados por agentes americanos em um ônibus até o local do evento e revistados na entrada. Outro ministro informou que alguns deles entraram no local do encontro porque não podiam recuar e saíram logo em seguida sem participar da solenidade.
O ministro Fernando Pimentel afirmou por meio de sua assessoria que deixou o local porque fora chamado pela presidente Dilma Rousseff. Um dos ministros contou que o esquema fez com que se sentissem como “colegiais” ou suspeitos tentando entrar nos Estados Unidos.

Fez bem o serviço secreto de revistar os ministros brasileiros. Afinal, com o histórico deste pessoal do PT cautela nunca é demais.

Podiam ter dado uma geral na Dilma também, afinal de contas …. o passado ….

Corisco Games apresenta: associe o nome ao rolo

( ) Quebra de sigilo da família Serra          (  ) Fernando Pimentel

(  ) Aloprados                                                 (   ) Mercadante

(   ) Rolo no Panamericano                          (    ) Mantega

 

Deputado do Motel será Ministro do Turismo: Relaxa …

Leiam a matéria, do portal terra

A Diretoria Geral da Câmara dos Deputados confirmou o pagamento nesta quarta-feira do valor de R$ 2,1 mil, referente a uma nota fiscal apresentada pelo deputado federal Pedro Novais (PMDB-MA), nomeado como ministro do Turismo no governo Dilma Rousseff, à Casa.

Segundo o deputado, a nota foi indevidamente apresentada para ressarcimento à Câmara. Uma reportagem publicada nesta quarta pelo jornal O Estado de S. Paulo dizia que Novais teria realizado uma festa em um motel de São Luís com dinheiro da cota parlamentar.

O deputado divulgou nota à imprensa na tarde desta quarta-feira em que negou as acusações e disse ter lido com “absoluta indignação” a reportagem da publicação. “É mentira. Nunca estive no tal estabelecimento”, afirmou.

Pausa para rir. Pausa para chorar.

O fato de o futuro ministro afirmar que não praticou ato libidinoso naquela casa de tolerância não o exime de nenhuma responsabilidade. Político pagar festa em motel é motivo para demissão sumária, pagar festa em motel com dinheiro da câmara é motivo para ir para a cadeia. Pelo menos num país sério iria.

Bom, depois da ministra do Turismo que relaxa e goza agora temos o ministro do turismo que só, bom deixa para lá…

Fraudes Eleitorais 2010

Reproduzo abaixo em azul, o mailing diário que o César Maia envia. Este texto é muito bom. O Negrito é meu.

FRAUDES ELEITORAIS 2010! NUNCA ANTES NESSE PAÍS SE VIU TAMANHA CARA DE PAU!

1. Inacreditável a velocidade com que se consumaram fraudes eleitorais em 2010. Os candidatos assumiram compromissos programáticos com o eleitor e, menos de um mês após as eleições, começam a fazer o contrário do que se comprometeram, descaradamente.

2. A primeira delas foi quantos aos tributos. Todos disseram que não aumentariam quaisquer tributos. Mas dias depois, Dilma e sua turma começaram a declarar e agir pela volta da CPMF. Até governadores foram chamados, com oferta de repasses adicionais para saúde pública. Essa semana Lula voltou ao tema.

3. O aborto foi tema de campanha que, inclusive, elevou o patamar de votos de Marina Silva, declaradamente contra. As Igrejas se mobilizaram em defesa dos valores cristãos e contra o decreto de “direitos humanos” (argh!). No segundo turno, todos fizeram declarações abertas contra o aborto. Dilma disse que não disse o que tinha dito.

4. Mas, agora, o parceiro mais íntimo do governo federal -o governador Cabral- relançou o tema: quer liberar o aborto, mudando a lei. E foi muito mais longe, ao provocar uma plateia de empresários, etc., dizendo que todos ali haviam feito o aborto em suas namoradinhas (e não se excluiu do todos). Esse argumento agrava uma declaração dele uns anos atrás, que filho de favelada seria bandido e que deveria fazer aborto.

5. Esse novo e agressivo argumento das namoradinhas mostra que ele, Cabral, pensa no aborto como uma prática anticoncepcional. Ou seja, iguala aborto à pílula. E tudo isso menos de dois meses depois das eleições, em que ficou quietinho, caladinho, para não perder votos.

6. Finalmente os compromissos salariais. Por exemplo: todos se comprometeram com a votação da PEC-300 dos policiais militares. E agora não se deixa votar.

7. Em todos os casos não tiveram a vergonha de deixar para uma discussão futura. Foi tudo a queima roupa: mentiram, e em 30 dias, à vista, assumiram a fraude eleitoral. Descaradamente.

Corisco comenta: Enquanto isto a oposição, PSDB, fica discutindo o sexo dos anjos.