Arquivos do Blog

Serra x Haddad e a incompetência de um “marketeiro”

Há muito tempo não escrevo neste espaço e, apesar dos bons ventos que sopram do STF, confesso que estou meio desanimado com a perspectiva da política no Brasil.

Confirmadas as pesquisas mais recentes, o “micador” de ENEMs, Fernando Haddad, será eleito pelo povo de São Paulo como prefeito.

No meio do julgamento do mensalão, governando o Estado de São Paulo, o PSDB pode sair derrotado da maior cidade do Brasil.

E de quem é a culpa? Em primeiro lugar, caso o desastre se concretize, de Luiz Gonzalez o pluri-derrotado marketeiro de Serra. Em segundo lugar do próprio José Serra que parece estar dando mais ouvidos a Gonzalez que à razão. Em terceiro lugar ao prefeito Kassab, que não teve força para se defender do assalto petralha à capital do estado, parece que estava mais preocupado em rachar o DEM.

Espero que nos poucos dias que faltam Serra consiga virar o jogo, não é impossível, mas é bastante difícil.

 

 

Mais um escândalo petralha

Vamos contar os escândalos:
– Erenice (cadê a punição? cana?)
– Palocci (e aí? vai ficar por isso mesmo?)
– Mercadante e os aloprados. (Não vai cair?)
– Ministério dos transportes

Neste ritmo, capaz de bater o record de roubalheira e safadeza do governo anterior.

Importante conhecer a Petralhopédia

O ENEM, o MEC e R$ 4,5milhões pagos a mais

Como se não bastasse a lambança do ENEM 2009 e do ENEM 2010, hoje um relatório do Tribunal de Contas da União mostrou que, na prova do ano passado, o MEC adiantou indevidamente 4,5 milhões de reais ao consórcio responsável por imprimir as provas daquele ano. O que aconteceu é que, apesar de ter sido paga a impressão de 12,2 milhões de cadernos de prova, só foram realmente impressos 9,4 milhões de cadernos.

A justificativa do Inep, que foi rejeitada pelo TCU, é que esse valor de R$ 4.500.000,00 seria compensado em acertos futuros, o que não aconteceu porque o contrato com o consórcio foi rescindido. Segundo a auditoria do TCU: “Além de o pagamento antecipado não estar previsto contratualmente, não houve garantia que evitasse a concretização do dano ao erário”.

Vamos ver se eu entendi.

1) O MEC pagou para o consórcio imprimir 12,2 milhões de provas
2) O consórcio só imprimiu 9,4 milhões de provas
3) O MEC desembolsou R$ 4.500.000,00 a mais para pagar pelo Enem 2009
4) O MEC sabia que pagou a mais, já que justificou que haveria um “acerto”.
5) As provas vazaram na gráfica que imprimiu as provas

Ou seja, não satisfeito em deixar indivíduos roubarem as provas, o consórcio ainda ficou com R$ 4.500.000,00 indevidamente e o MEC sabia e não fez nada?

Como será que foi o pagamento do Enem 2010? Será que no ano que vem o TCU vai achar outro rombo de R$ 4.500.000,00?

O que esse InePTo ministro Haddad está fazendo sentado naquela cadeira ainda? Escalpo nele!