Arquivos do Blog

Porque o Brasil precisa da pena capital

Vejam a foto abaixo.

Violência Idoso Espancado Bahia

Se o Brasil não implantar a pena capital a população partirá para a barbárie. Os cidadãos não conseguem tolerar mais este tipo de violência.

Se seu pai fosse agredido assim o que você faria?

Anúncios

Está surgindo um novo portal de política do bem – @exilado strikes back

Uma breve notinha para mostrar o teaser de um novo portal de política que está surgindo.

O cara é muito bom!

UPDATE: @andremca e o @gravz tocarão o trabalho no começo.

PT e o Cinismo – Haddad, Panamericano, CPMF – @rafasoli fala claro!

Vale a pena ver este vídeo e divulgar. Como disse hoje o Aluízio Amorim:

DE NADA ADIANTA fazer oposição apenas na ELEIÇÃO! Metade já abandonou a luta e as redes sociais http://bit.ly/d10pas

Heróis da Resistência VI – @coroneldoblog e @narizgelado

Como o próprio Coronel diz: O anônimo mais lido da Internet.

O Coronel do Blog após muito escrever, como comentarista, no blog do Noblat, percebeu que deveria ter seu próprio veículo de divulgação de idéias e criou o Coturno Noturno em 2006.

De lá para cá são quase 6 milhões de visitas, sendo que nos últimos meses conseguiu a média de 40 a 50 mil visitas por dia.

O Datacoronel foi o que previu com mais precisão o primeiro turno e durante toda a batalha do segundo turno escreveu mais que o habitual e ajudou ao pessoal a lutar até o último dia.

O Coturno Noturno é um sucesso, nem o maior dos petralhas pode negar isto. O Coronel não faz seu trabalho remunerado por estatais como o Banco do Brasil, Caixa Econômica e Petrobrás como alguns dos blogueiros vendidos, mas vive do seu próprio trabalho com sua esposa @narizgelado, outra importante figura da Resistência.

Quando Lula prometeu extirpar o DEM de Santa Catarina, o Coronel e NarizGelado ajudaram a converter esta ameaça numa derrota sem precedentes para o detentor de 83% de popularidade.

Um jornalista português que descreve a eleição de Dilma com precisão

Um jornalista português escreve o que ninguém na imprensa brasileira teve coragem de dizer. Leiam o que vai a seguir:

João Pereira Coutinho

Os heróicos 3%

Passei meus últimos dias com a cabeça mergulhada no Brasil. As eleições, sim, as eleições: na TV ou nos jornais portugueses, a minha tarefa era explicar aos patrícios o que sucedia desse lado do Atlântico. Li muito. Escutei bastante. Perguntei idem.

Mas de tudo que li, escutei ou aprendi, nada me perturbou tanto como saber que Lula deixa o Palácio do Planalto com 82% de aprovação popular.

Minto: o que me impressiona não são os 82%; o que me impressiona são os 3% de brasileiros que desaprovam o governo Lula e que não embarcam no entusiasmo geral. Como são solitários esses 3%! E como são heroicos! É preciso coragem, e uma dose invulgar de realismo e sensatez, para não ser atropelado pela multidão desgovernada. Quem serão esses 3%? Gostaria de os conhecer, de os convidar para minha casa, de beber com eles à liberdade e à democracia. Vou repetir, quase com lágrimas nos olhos: 3%!

Não nego: Lula teve méritos econômicos evidentes. Arrancar 20 milhões da pobreza não é tarefa insignificante; e ter um país com crescimentos anuais de 6% ou 7%, enfim, uma miragem para quem vive na Europa. Se o Banco Mundial acredita que o Brasil será a 5ª economia do mundo no espaço de uma geração (obrigado, “The Economist”), Lula teve um papel nesse caminho. Mesmo que o caminho tenha sido preparado por Fernando Henrique Cardoso.

Mas quando penso nos solitários 3% que desaprovam Lula; quando penso nessa gente residual, marginal, divinal, penso em todos os casos de corrupção que abalaram os governos petistas e que seriam intoleráveis em qualquer país civilizado do mundo. Penso nos ataques e nos insultos que Lula desferiu contra a imprensa mais crítica. Penso na forma como Lula usou o seu cargo para, violando todas as leis eleitorais (e do mero decoro democrático), eleger Dilma Rousseff. E penso, claro, na política externa de Lula.

Sou um realista. Países democráticos não lidam apenas com democracias; por vezes, nossos interesses estratégicos ou econômicos exigem que sujemos as mãos com autocracias, teocracias, ditaduras e aberrações políticas. Mas devemos fazer isso com decoro; envergonhados; como um cavalheiro que frequenta o bordel e não faz publicidade de seus atos.

Os 3% que desaprovam Lula, aposto, desaprovam a forma indigna como ele elegeu Ahmadinejad seu amigo; como manteve relações amistosas com Chávez; como foi displicente perante os presos políticos cubanos.

Acompanhei as eleições brasileiras. Comentei-as. Escrevi a respeito. Mas, nessa hora em que Lula sai para Dilma entrar, os meus únicos pensamentos estão com os 3% que não perderam a cabeça e mantiveram-se à tona da sanidade.

Nessa noite fria de Lisboa, um brinde a eles!

Os heróis da resistência V – As mulheres

O papel das mulheres na resistência francesa foi algo que dificilmente pode ser mensurado em toda a sua extensão. O texto da historiadora Rebecca Halbreich que Corisco compilou num PDF para facilitar a leitura mostra bem isto: Women in French Resistence

Durante a campanha 2010, na luta para manter a democracia no Brasil muitas mulheres lutaram e estão lutando bravamente. Algumas com blogs como os que temos na seção de links deste site outras pelo twitter.

No Twitter a batalha tem sido intensa e elas tem conseguido influenciar senadores como Álvaro Dias que esta semana mencionou as sugestões que recebeu por twitter numa sessão do Senado.

Mesmo sabendo o risco que corremos de ser injustos por omitir alguém enuncio aqui algumas que se destacaram nesta batalha:

ReginaBrasilia

Bluesette22

nandatn

Kika_Albuquerqu

YaraChiara

paularosiska

MariaPascoa

danib_i

LisFL

marcia1907

e não poderia faltar:

narizgelado

P.S. – Antes que alguém nos acuse de sermos puxa-saco, olhem o Twitter destas pessoas e vejam se não merecem participar desta série Heróis da Resistência.

Os heróis da resistência III – @pitacadas

Pitacos Políticos é um blog muito interessante com análises bastante ponderadas e sensatas. Durante a campanha eleitoral foi um importante farol para indicar nossas chances de ir para o segundo turno.

Pitacos é mantido há muito tempo por Tibério Canuto e Antônio Sergio Martins e embora tivesse a proposta de ser uma publicação quase diária, durante as eleições se tornou 3 a 4 vezes ao dia.

Embora com origem na esquerda, Pitacos sempre defendeu a democracia com unhas e dentes e portanto foi uma pedra no sapato do PT.

Dois posts após a derrota de Serra mostram o calibre moral dos autores de Pitacos, infelizmente não há como linkar os posts individuais:

– O Leão do Norte

O senador Jarbas Vasconcellos é daqueles que “vai para o sacrifício”, em nome do que acredita.

Senador por Pernambuco (PMDB), cujo mandato se conclui em 2014, lançou-se candidato a governador do seu Estado, com a única finalidade de dar um palanque para seu companheiro de velhas e atuais batalhas, José Serra.

(continua)

– Sobre o tracking tucano, onde analisam honestamente que o tracking acertou no primeiro turno e não foi tão preciso no segundo turno.

Cumpre Pitacos ter uma conversa franca com nossos comentaristas e leitores, a respeito do tracking tucano.Em primeiro lugar, cabe uma autocrítica.Caímos na armadilha das pesquisas. A função do tracking é exclusivamente orientar a campanha da oposição e dar ordem de grandeza das intenções de voto, direção das curvas e sua aceleração. Combina-se com pesquisas qualitativas, as quali, que avaliam propostas, comportamentos, programas eleitorais etc. Eventualmente, a oposição tem a alternativa de contratar pesquisas de campo, tradicionais, para confrontar resultados e apurar a mira.O tracking jamais poderia ser utilizado como peça de propaganda. Uma ou outra vez poderia haver exceção, para se contrapor a institutos que não fazem da ética profissional uma condição necessária em seus trabalhos.

Uma breve biografia dos autores:

Tibério Canuto

Ex-Presidente da UBES (União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (1966/1967) e também ex-dirigente da Ação Popular. Participou dos jornais “Movimento” e “Em Tempo”. Militou no Partido Comunista Brasileiro (PCB, 1981/1992, o “partidão”), sendo membro do seu Diretório Nacional. Tibério Canuto tem experiência como assessor sindical e parlamentar.

Antônio Sérgio Martins

Ex-vice-Presidente da UBES, 1968/1971, ex-dirigente estudantil nacional da Ação Popular (1967/1971). Foi dirigente da Unidade Comunista, que se incorporou, majoritariamente, ao PCB. Participou do jornal “Em Tempo”. Militou no PCB (1981/1990), como assessor da Direção Nacional, nas áreas sindical e de jornalismo. Filiou-se ao PPS em 2004. Atualmente não tem filiação partidária. Informata, é empresário na área de software.

Fica mais uma dica de pessoas que lutaram bravamente nos últimos meses.

Os heróis da resistência II – @exilado

Durante a segunda guerra mundial, a França ocupada pelos alemães viu o surgimento da resistencia francesa, la rèsistance. Estes homens e mulheres lutaram bravamente contra o nazismo e a ocupação de sua pátria e foram peça chave para a reconstrução da França após a guerra.

Hoje queria homenagear o @exilado, ele produziu muitos vídeos que ajudaram a manter o moral da oposição elevado e depois de uma semana de férias merecidas promete voltar à ativa.

O @exilado com seus vídeos ajudou a desconstruir a figura Dilma. A Dilma mostrada pelo exilado é a Dilma real: a que não sabe construir frases, que se perde nos debates, que diz que o pessoal saiu do nordeste para vir ao Brasil.

A série direto ao ponto, em que transcreve a fala da candidata é hilária e reveladora. “Eu vi, deixei de ver, voltei a ver, e acho que, acho que o Neymar e o Ganso tem a capacidade de fazer a gente olhar“– Dilma Rousseff.

@exilado também mostrou como é a técnica do PT de usar a embromação, ou mentira se você preferir, para ganhar tempo durante escândalos.

E mostrou também a Dilma Rousseff real, com duas caras:

Esperamos contar com um @exilado muito ativo agora durante a resistência!

Com um canal no Youtube com quase 3 milhões de views, outros vídeos bons com certeza virão. http://www.youtube.com/user/exilados?blend=2&ob=1

Os heróis da resistência – I – @rafasoli

Durante a campanha vimos uma nítida diferencia entre a militância petista e a militância da oposição, oposição esta que não se identifica com um partido em concreto.

Esta diferença é que os que lutamos na resistência fazemos isto por amor a pátria, por amor à democracia, não estamos interessados em cargos nem benefícios.

Esta série de post é uma homenagem aos que combateram e seguem combatendo pela democracia com os meios que tem a sua disposição.

@rafasoli é do Rio de Janeiro e se destacou pelos vídeos falando diretamente com a câmera, em close, dando um recado direto. Seu vídeo mais recente é sobre a CPMF e como fazer oposição. Vai abaixo.

Um discurso para a história

Segue na íntegra o discurso de José Serra após reconhecer a derrota nas urnas. Os grifos são meus.

“Os eleitores brasileiros falaram e nós recebemos com respeito e humildade a voz do povo nas urnas. Disputei com muito orgulho a Presidência da República. Quis o povo que não fosse agora, mas digo aqui, de coração, que sou muito grato aos 43 milhões de brasileiros e brasileiras que votaram em mim, que colocaram um adesivo, uma camiseta, que carregaram uma bandeira com o Serra 45. Meu imenso “muito obrigado” a todos vocês.

Quero agradecer também aos milhões de militantes que lutaram, nas ruas e na internet, em defesa de nossa mensagem, de um Brasil soberano, democrático e propriedade do seu povo. Vou carregar comigo cada olhar, cada abraço, cada palavra, cada mensagem de estímulo em vibração, inclusive no meu twitter. Ao lado dos 43 milhões de votos que recebemos, tivemos a eleição de dez governadores que nos apoiaram. Mas a maior vitória que conquistamos nessa caminhada não foi mérito meu, mas de vocês.

Pode parecer estranho para um candidato que não ganhou a eleição, mas vim aqui não para falar de minha frustração, vim falar da esperança.

Neste meses duríssimos, quando enfrentamos forças terríveis, você alcançaram uma vitória estratégica. Cavaram uma grande trincheira, construíram uma fortaleza, consolidaram um campo político em defesa da liberdade e da democracia no Brasil. Em defesa das grandes causas econômicas e sociais do país.

Nossa campanha trouxe ao cenário eleitoral uma juventude que ama o Brasil, que ama a liberdade. Ao longo da campanha vi em muitos jovens, em centenas, em milhares deles, o jovem que fui um dia, sonhando e lutando por um país melhor, mais justo, democrático. Onde os políticos fossem servidores e não se servissem do povo. Vocês não imaginam quanta energia tirei daí, como isto jogou para adiante mesmo nos momentos mais difíceis.

Para os que nos imaginam derrotados, saibam de uma coisa: apenas começamos a lutar de verdade. Vamos dar nossa contribuição ao país em defesa da pátria, da liberdade,da democracia, do direito que todos tem de falar e serem ouvidos. Da integridade da vida pública.

Essa será nossa luta nos próximos anos. Por isso, minha mensagem de despedida para vocês não é um adeus, é um até logo. A luta continua.

Um breve comentário: foi um discurso que sacudiu meu desânimo! Lutamos muito, batalhamos voto a voto, pagando tudo do nosso bolso.

Serra é o nosso Morpheus, nosso Gandalf, ele tem a missão de comandar mais que a oposição. A resistência!